quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

As mulheres e o divórcio

Li isto e achei que tinha algo mais a dizer (para além do extenso comentário que lá deixei)


É natural que digam que o divórcio faz bem às mulheres...
A mulher que passa a ser esposa, mãe, companheira, mulher-a-dias, contabilista, mediadora de conflitos, pau para toda a obra, deixa, muitas vezes, de ter tempo para ser mulher.
Começou a acontecer comigo...
Juro que tive vontade de mandar tudo po galheiro e ir tratar de mim, porque, porra, não tinha tempo para mim...
Trabalho todo o dia, mas como é perto de casa e tenho um horário mais flexível que Mr.Bigodes, depressa verificámos que era mais fácil, sempre que fosse preciso tratar de alguma coisa que fosse eu. Até aqui tudo bem.
Ora porque era preciso ir tratar de seguros, ora porque era preciso ir ao banco, às compras, ao sapateiro, falar com canalizador, pedreiro, pintor e o diabo a sete, (ah, e todos os dias faço almoço para Mr.Bigodes que trabalha perto mas só tem 1h de almoço), ao fim de alguns anos tudo isto me sobrecarregou e comecei a entrar em conflito com o homem cá de casa porque era eu para tudo e já não estava a conseguir dar conta do recado (e não temos filhos...)... Andava sempre zangada, cansada, irritada e quem pagava era ele. Ele era o culpado de todos os meus males.
Mas antes mesmo de fazer tilt tive uma epifania: eu primeiro. Se eu estiver bem, resolvo melhor as tretas do dia a dia. Se não resolver num dia, não é por não ter ido ao sapateiro que deixamos de ter sapatos para calçar. Não é por não ter ido à mercearia hoje que amanhã não tenho o que comer. Se a casa não estiver limpa, ninguém mais a vem limpar (e olhem que Mr.Bigodes é um às do aspirador e do pano do pó)...
Quando comecei a pensar assim, comecei a relaxar mais e a tratar melhor de mim, logo as coisas mudaram muito, mesmo muito!
Descobri que tenho mais tempo do que pensava.
Não quer isto dizer que agora sou uma fada do lar e ando sempre a cantar e feliz da vida. Só quero dizer que não o culpo, nem me culpo a mim se não tiver tempo para resolver certas coisas.
E isto fez maravilhas à nossa relação.
 
 
e pronto, era isto... :)

4 comentários:

  1. Se as mulheres não se anulassem quando se casam, quiçá não precisavam de se libertar (e algumas exageradamente) quando se divorciam.

    ResponderEliminar
  2. Adorei!!! Muito bem dito. E tu estás cada vez mais bonita, e feminina e poderosa e não precisaste de nenhum divórcio, mas sim olhares para ti e por ti <3

    ResponderEliminar
  3. mAna. Foi mesmo isso, mas ainda andei a bater com os cornos na parede de tantas voltas que dava à moleirinha, porque não estava bem. Agora estou melhor que nunca!!! :)

    ResponderEliminar

Façam o favor de opinar....